EMPREENDEDORISMO NO BRASIL: CRESCE DURANTE A PANDEMIA E SE TRANSFORMA

Notícias Noticias academiaassai

EMPREENDEDORISMO NO BRASIL GANHA NOVOS RUMOS. O PERFIL DO EMPREENDEDOR MUDOU E A MODALIDADE VEM SE DEMOCRATIZANDO E ENTRANDO EM TODOS OS LARES BRASILEIROS. 

O cenário da pandemia não foi bom para ninguém. Mas, na contramão do desemprego ocasionado pela queda da economia, só em 2020, 14 milhões de brasileiros se aventuraram – pela necessidade – no empreendedorismo. Isso é o que revela o relatório Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2020, sobre o empreendedorismo no Brasil.

As mudanças de crescimento no setor de empreendedorismo aconteceram pelo principal fator: o desemprego. Com as demissões em massa, transformar o que antes era hobby em negócio, foi a solução.

A pesquisa revela que 52,1% dos brasileiros conhecem alguém que empreendeu durante a pandemia. Ela também aponta para um número expressivo de mulheres crescendo no empreendedorismo, além de pessoas mais jovens dos 18 aos 24 anos e também as mais velhas, de 55 a 64 anos. Além disso, pessoas com baixa escolaridade também começaram a empreender mais.

Com isso, um novo perfil de empreendedor vai surgindo. Entre o público mais idoso, o crescimento de empreendedores é de 115%. Eles buscam completar a renda ou pagar um plano de saúde melhor, já que a aposentadoria é insuficiente.

Esse público mais velho de empreendedor, traz os jovens para perto que elevam os negócios mais facilmente para o ambiente digital. Aliando assim experiência com a inteligência das novas gerações no que se refere a tecnologia.

E isso se comprova, porque o segundo grupo a crescer no empreendedorismo na pandemia foi o de jovens na faixa etária dos 18 aos 24 anos, eles representam 55% dos novos empreendedores. As mulheres representam 49% deste crescimento.

Outro apontamento da pesquisa, é que os novos empreendedores acreditam que a educação por parte do governo é o principal fator para melhorar o empreendedorismo no Brasil, com 55,8% das respostas. Apoio financeiro por parte do governo fica com 27,9% das respostas.

Para os sonhadores, a pandemia também teve um efeito bem expressivo. A taxa de potenciais empreendedores aumentou em 53%, mais da metade das pessoas que não empreendem, gostariam de ter um negócio próprio.

Isso revela que 50 milhões de brasileiros têm o sonho de empreender; 32,2% deles, afirmam ter sido influenciados pela pandemia, ou seja, 16 milhões de brasileiros poderiam ter empreendido junto com os 14 milhões de brasileiros que empreenderam na Pandemia, fechando o possível número de 30 milhões de brasileiros novos empreendedores.

Fonte e foto: Empreendedorismo no Brasil: cresce durante a pandemia (academiaassai.com.br)